Aplicativos nativos e híbridos

Compreender as linguagens de desenvolvimento e interação com o usuário ajuda a definir o melhor tipo de app

Quando se decide desenvolver um aplicativo é necessário ter algumas coisas em mente, só assim pode ser definido a melhor forma de desenvolvê-lo e o público alvo, para saber qual linguagem de programação será usada, de acordo com os aparelhos que utilizarão o app. 

De acordo com um relatório da Global Stats, cerca de 75% dos usuários de smartphones utilizam plataforma Android, 25% utilizam o software IOS e outras plataformas menos usuais são contabilizadas com uma porcentagem muito pequena, que quase chega a 1%. 

Existem dois tipo de app’s: nativos e híbridos. Cada um possui uma linguagem de programação diferente, essa é a principal diferença. Além dessa pontualidade, a interface e performance do app também são impactadas de acordo com a linguagem usada.

App’s nativos

Esses aplicativos são armazenados diretamente nos smartphones e baixados diretamente das lojas Google Play (Android) ou App Store (IOS). Para o desenvolvimento são usadas as linguagens nativas dos sistemas operacionais e podem usufruir de funcionalidades específicas dos aparelhos como câmera, GPS, contatos, funções offline e outras utilidades.

App’s híbridos

Aplicativos híbridos são desenvolvidos utilizando várias linguagens e, especificamente, de forma fracionada; metade nativo, metade web app. Dessa forma eles também podem ser baixados nas lojas e utilizar funcionalidades dos smartphones. Uma das diferenças para os app’s nativos é que eles podem ser acessados na wep app, através de um link, onde as informações são integradas da página web para o app. Aplicativos híbridos possuem poucas funções offline, ou não funcionam sem estar conectados a rede. 

Qual a diferença?

Aplicativos nativos possuem um custo mais elevado. Devido a linguagem própria do sistema operacional utilizada para desenvolver os app’s, esses softwares proporcionam uma melhor interação e experiência ao usuário. Assim, cada app é desenvolvido especificamente para cada plataforma operacional. 

Os app’s nativos passam por uma avaliação dos sistemas e, caso contemplem as políticas internas de cada sistema operacional, podem ser publicados nas lojas. Uma das grandes vantagens dos app’s nativos é a possibilidade de funcionalidades em modo offline. 

Já os app’s híbridos possuem algumas vantagens e desvantagens de forma simultânea. Por serem adaptáveis a todos os sistemas operacionais e utilizarem uma parte web em seu desenvolvimento, esses app’s são mais simples de criar e mais baratos que os nativos. Entretanto, eles podem não possuir funções offline, já que parte é desenvolvida com base na web, de forma online. 

Definir a forma de desenvolvimento do app é absolutamente importante, visto que a experiência do usuário pode ser significativamente impactada. Esses são apenas alguns pontos para se levar em consideração no momento do desenvolvimento. Obviamente algumas outras questões também são importante e não devem ser deixadas de lado como: orçamento, nicho, forma de atuação do app e habilidades dos usuários. 

About the Author: going2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *